segunda-feira, 16 de maio de 2011

O tal do tempo

Mas não disseram que o tal do tempo curava tudo? 
Quanto tempo?
Quantas doses são necessárias? Esqueceram de me entregar a receita!
Só me jogaram a dor e algumas palavras.
Então, por que existem dias que parece que não passaram mais que um ou dois segundos?
Por que as vezes ainda é possível te sentir tão perto? Por que ainda é possível ouvir sua voz ou sentir o seu sorriso?
Por que sua ausência ainda se faz tão presente?
Mas são só lágrimas... e elas secam!
O amanhã é necessário e logo esse tempo cura tudo... não é?

6 comentários:

  1. Ahhh amiga, eu nao acreditava tb, mas ele cura sim...

    ResponderExcluir
  2. Dizem que ele ajuda.
    Sinceramente, estou tentando comprovar.
    Semana passada derramei tanto o meu ser pelas águas dos meus olhos que acredito que, isso não mais ocorrerá.
    Não nesse amor.
    Não desse amor.

    ResponderExcluir
  3. Pensei o mesmo há dois meses, e sinto dizer que esta fonte se mostrou infindável para mim! =/

    ResponderExcluir
  4. Nanda, sábado ouvi Martha Medeiros falar algo sobre o tempo e a dor: Ele - o tempo -, não é capaz de curar a dor, ou fazer esquecer, simplesmente trabalha com a memória, ele esconde os sentires, daí temos a sensação que já não mais existe.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  5. Não acredito que isso se cura, pois não acho que seja uma doença... mas acho que com o tempo você aprende que isso pode ser bom, algo que toma como atitudes para uma nova relação.

    ResponderExcluir
  6. O tempo nos mostra o que foi bom em nossas vidas! Ele não cura e nem faz esquecer. Ele ameniza a dor.

    ResponderExcluir