sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Na hora de dormir

Acho que há uns 10 anos eu não sei o que é dormir antes das 2:00 h, e isso se tornou uma coisa boa pra mim, porque assim, posso aproveitar o silêncio da madrugada pra estudar, pra ler, pra assistir um filme, pra namorar (o que não tem acontecido), mas é na madrugada que a vida parece mais calma e funciona melhor.
No entanto, há alguns dias eu não consigo simplesmente deitar, apagar a luz e dormir. Essas horas, tem sido as piores do meu dia.

Um calor insuportável tem invadido minha cidade, tenho pensado em me tornar até uma menina melhor, porque se existir o inferno e ele for quente como dizem, eu não quero mesmo participar dele.
O calor já dificulta muito minha vida, além disso, antes de dormir, tem crescido um vazio no meu peito como se tivesse faltando alguma coisa que me permitisse respirar.

As coisas pioram absurdamente quando se tem um milhão de seres rondando meu corpo a noite, a procura do meu sangue. A impressão que eu tenho é que se eu vacilar eles vão sugar o meu cérebro. Se eles ainda tivessem a mesma face dos vampiros nos filmes atuais, minha noite poderia ser bem melhor. Tirando isso, não sei onde um vampiro se difere tanto assim de um pernilongo. Os dois são seres que vivem com o único intuito de sugar meu sangue enquanto estou distraída.
Ultimamente, quando eu vejo uma foto do Edward,  automaticamente eu penso em uma daquelas raquetes elétricas de matar insetos.

Quando finalmente eu consigo adormecer, isso lá pelas 4:00 h, eu acordo totalmente assustada ouvindo alguém me chamando. É, isso mesmo! Parecendo um filme de terror!
Quando a idéia do fantasma se afasta da minha mente e eu me convenço de que não há ninguém do outro lado da porta usando uma roupa preta segurando uma foice, o sono parece chegar novamente.

Suportar o vizinho buzinando às 5:00 h em frente a minha janela, nessa altura, já não parece muito terrível. Então eu aproveito o tempo que me resta para fechar os olhos nessa noite, no entanto, não tem como durar muito, porque logo o sol começa a surgir e com ele as andorinhas que aparecem me despertando pro dia que começa.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Os otários do mundo virtual

-oi, kem eh?
-Você que me adicionou, então a lógica é que você quem deveria me conhecer.
-hum d onde tc?
-Oi?
- to afim de tc c vc gata, tc d q lugar?
(alguns segundos pensando o porquê eu deveria conversar com esse otário)

ZzzZZZ
             zzzZZzzz
                            zzZZz

-ahhhhh porra lembrei, vc eh a mina amiga dum camarada meu
(então o motivo veio muito rápido: descobrir quem era e se era possível que algum amigo passasse meu msn pra um ótario).
-E quem é esse seu "camarada"?
-naum vo fala naum pq vai pegah mau pro cara
-Imagina! 
(Só vou acabar com uma das mãos dele, picando cada dedo com uma lâmina mal afiada)
-dexa queto, soh tava afim de te conhecer. vc eh loira ou morena?


Alguém consegue me explicar o que pensa um "ser" desse? Eu juro que um dia eu vou ter a maior paciência do mundo, e com todo o meu espírito investigativo, descobrir em que mundo vive alguém assim.
É fato que não existiu nenhum amigo que deu meu msn, então isso quer dizer que o cara fica o dia procurando endereços pra adicionar qualquer desconhecida. Ele nem sabia a cor do meu cabelo!
Quem é essa pessoa? Um garoto de 14 anos que nunca vai conseguir ter uma conversa inteligente? Um maníaco pedófilo que procura crianças na internet?
Quem é uma pessoa que faz isso?  QUEM?
Então eu acredito se existe pessoas assim, também existe quem vai me criticar por dizer que ele era um otário sem nem ao menos saber quem era.
 "  - oi, kem eh?
- hum... d onde tc?
- to afim de tc c vc gata, tc d q lugar? "

Não preciso de mais. Você precisa? Bom proveito, vá em frente!

Estou ciente de que um endereço de msn pode ser conseguido de mil maneiras prováveis, mas não concebo a idéia de que uma pessoa simplesmente adicione outra sem ao menos ter um propósito decente. E é claro que se este propósito for de se apresentar e mostrar algum interesse ... Tudo bem! É sério!
Mas um indivíduo que te adiciona sem saber nem ao menos quem é você, não sabe escrever e ainda quer que você pense que um amigo seu o ajudou nessa busca incessante de progesterona - é um otário!
Esse cara nunca vai pegar uma mulher decente, ele não tem vida social, é um babaca! Isso no meu pré-conceito já é um fato. De resto eu precisaria fazer minha pesquisa antropológica primeiro.
Mas eu comecei a escrever sobre isso porque estou particularmente revoltada com todo esse mundo de  orkut, de facebook, de twitter e afins. Não que eu ache isso coisas ruins, pelo contrário - olha eu aqui com o meu blog! O que anda me revoltando são esses otários virtuais, esses que passam o dia conectados pra poder invadir a vida alheia, pra poder mostrar ao mundo que não conseguem mais ler um bom livro, que não sabem  conversar com alguém no ônibus, mas sabem "twittar" que ficaram 45 minutos tomando banho. Onde vai parar nossos adolescentes? Eu tenho medo de ter filhos (mas isso é um outro assunto)!
E se não bastasse essas pessoas que não aprendem nada com a internet, há também aqueles que supervalorizam o que veem ali. Jogue a primeira pedra aquele que nunca criou conflitos em um relacionamento por algo do orkut! Nem que seja somente consigo mesmo. 
O terrível é que as pessoas não procuram saber o que está acontecendo, elas já criam uma idéia do porquê  o outro adicionou alguém ou recebeu algum recado. E pronto! Brotou a discordia!
Meu desabafo aqui no blog é porque por duas vezes em um mês eu quase deletei todas as minhas contas da internet, talvez ainda o faça. O que me deixa "p" da vida é que eu me sinto pressionada a deixar uma coisa legal de ter, que pode ser algo muito saudável, porque alguns otários resolvem acabar com a nossa paz por causa de nada.
Esses dias eu estava lendo umas cartas dos meus pais na época do namoro. A única desconfiança era se ele dançou com muitas garotas em um baile ou sobre o que ela falava dele pras amigas nas cartas que enviava.
MEU DEUS! QUANTA PAZ!
Hoje, dependendo do tipo de pessoa que você namora, sua vida simplesmente vira um inferno; se você adiciona alguém, se responde um recado ou se faz um joguinho inocente do facebook, se dá um follow em alguém que nem é famoso... É muito fácil criar o diabo quando se quer viver em um inferno!
Pensando mais, acho que foi por isso que parei de blogar, existe muita gente que se esquece de julgar o que o blogueiro escreve pra tentar descobrir o que o blogueiro sente no íntimo da sua vida. 
Eu escrevo o que eu quero compartilhar de mim, mas nem tudo de mim eu preciso compartilhar aqui e nem o farei.
Eu adorei conhecer as histórias que recebi no meu e-mail, mas eu li e senti dos leitores somente aquilo que eles queriam passar, então imagino que eu tenha o direito de querer o mesmo.
Estava com saudade disso!

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Eu fui uma péssima blogueira

Fiquei aqui pensando muito tempo por onde é que eu deveria começar. Pensei em pedir desculpas aos meus seguidores que eram tão fiéis, pensei em postar uma música linda e fingir que nenhum tempo se passou depois da última postagem, pensei até em não começar a escrever e desistir mais uma vez de postar, porque eu juro que abri essa página várias vezes em todos esses meses tentando escrever alguma coisa, mas sempre eu pensava que era tarde demais pra retomar, então eu desistia.
Mas se eu desistisse outra vez, nunca, ningúem viria aqui postar por mim. E eu estava cansada de ver sempre aquela mesma página, sem nenhuma mudança.
Acontece que foi aí que eu percebi que estava fazendo com o blog algo que eu odeio fazer com a minha vida: Desistir !
Eu já desisti várias vezes de retomar algo importante pra mim, por puro medo de ser tarde demais, e cada dia que passava ficava mais distante e sempre mais difícil. E então eu ficava sonhando em como seria se eu pudesse voltar atrás e fazer tudo diferente, de como seria fantástico se eu não tivesse desistido.
No entando, enquanto eu ficava sonhando, o mundo me dava várias chances de fazer novamente, de uma forma quase mágica o Universo me dava mais uma chance de mudar, e em várias vezes eu tornei a fazer tudo igual.
E quando tomamos o mesmo caminho, não pode haver outro resultado que não seja aquele que já conhecemos.
E eu decidi que eu não vou mais desistir, eu vou fazer o que eu tenho que fazer para que no futuro o meu mundo esteja diferente.
E caso seja tarde demais, não me importa! Retomarei meus sonhos mesmo assim, se for tarde pra alguns, novos vão surgir. E pra quem quer um mundo diferente, é necessário que tenha ações diferentes.
Eu cansei de abrir essa página e estar sempre igual, eu cansei de chegar dia 15 de fevereiro e estar tudo sempre igual.
Eu quero mudanças, cansei de lamentar, cansei de chorar, cansei de ter medo de não dar certo.
Eu posso escrever agora pra ninguém ler, pode ser que meus leitores desistiram de mim. Mas sempre há a possibilidade de haver novos leitores, os bons amigos, e aqueles que tinham um carinho especial pelo blog voltarem.
Pois é disso que precisamos pra continuar: de coragem, de determinação, de bons amigos e de um coração aberto pra receber aqueles que chegarem ou aqueles que resolverem voltar.
Hoje eu posso achar que eu fui uma péssima blogueira, mas não tenho mais medo daquilo que não tentei fazer.
Eu gosto de escrever. E daí que eu não consiga postar todo dia ou toda semana? Se eu não postar será porque eu não tenho nada pra dizer e não ficarei dando desculpas por sumir. Mas não será mais por preguiça ou falta de coragem.
Esse espaço é meu e para quem quiser aqui estar. Pensarei no blog da mesma forma que estou pensando em minha vida: Serei apenas EU, do jeitinho que eu sei ser EU - com meus acertos, meus defeitos e tentativas de melhorar.
Que fiquem ou que voltem somente aqueles que se sintam bem por aqui, o meu coração ou o blog sempre estarão abertos para aqueles que queiram fazer parte deles.
Pelo menos para aqueles que se sintam felizes com o que conseguem ter de nós.
Um beijo renovado da Nanda!